QUEM SOMOS

 

 

 

 

Em 1930 o Japão vivia momentos difíceis, e o desejo por novas oportunidades e uma vida melhor, fez com que milhares de japoneses viessem ao Brasil em busca de uma terra prometida, fértil e de prosperidade. Mitsuaki Komoda foi um dos japoneses símbolos do sucesso japonês em terras brasileiras. Nascido no Japão em 1911, o jovem Komoda, trabalhava com tecidos no Japão, e aos 19 anos, no ano de 1930 decidiu buscar a concretização dos seus sonhos no Brasil, e acabou chegando na colônia Bastos, situada no estado de São Paulo. 

 

Naquela época os imigrantes buscavam seu sustento e a prosperidade na agricultura, trabalhando em plantações de algodão, café e sericicultura. Mas Mitsuaki decidiu inovar e seguiu um caminho diferente — exercendo a sua função de vendedor de tecidos, onde visitava as propriedades rurais oferecendo uma variedade que agradava a todos. O que fez do negócio um grande sucesso, levando o jovem empreendedor a fundar a primeira loja de tecidos da cidade de Bastos em 1939. Desde então o empreendimento só cresceu e se tornou uma tradição, oferecendo os melhores tecidos e uma variedade de produtos para cama, mesa, banho e confecção.

 

A loja se tornou uma referência. Os irmãos Eiiti Komoda e Akira Komoda, foram a segunda geração da família a administrar o negócio, que sempre seguiu princípios éticos e morais, visando o bem-estar e comodidade dos clientes, além de preço justo e muita qualidade. Hoje a empresa é administrada pela terceira geração da família KOMODA — Alice, Douglas e Cristian continuam a tradição da família, oferecendo um atendimento que entende a necessidade de cada cliente, além de proporcionar os produtos da loja para todo o Brasil por meio da internet.

 

A Casa Komoda tem como princípio básico a relação de confiança com seus clientes e fornecedores, tendo como missão continuar atendendo as necessidades da população de Bastos em vestuários, tecidos, cama, mesa e banho, oferecendo produtos de qualidade e preço justo. Além, de manter o fornecimento de produtos da comunidade nipônica como toalha em embrulhos com escrita em ideograma japonês para missa, o que faz enorme sucesso entre os descentes de japoneses.